JFP for Woman | Quem tem pele oleosa também precisa de hidratação, sabia?

28
0
COMPARTILHAR

 

Spoiler: aquele “brilho natural”, que tanto incomoda, não é sinônimo de um rostinho hidratado 24 horas por dia.

Grande parte da população brasileira possui pele oleosa e sofre com isso. Seja por conta do clima majoritariamente quente aqui do país, de fatores genéticos, hormonais ou até mesmo por consequência de alguns hábitos ligados ao estilo de vida, fato é que lidar com brilho excessivo, acne e, muitas vezes, problemas dermatológicos ainda mais graves é uma realidade para muita gente.

E, após usar mil e um produtinhos para deixar a cútis mais seca, será que você já chegou a pensar que a pele oleosa precisa, sim, de hidratação como qualquer outra?

Então, fique nesta página, porque o MdeMulher, aos cuidados dos dermatologistas Anelise Ghidei , da AE Skin Center, e Gustavo Limongi, membro da Academia Brasileira de Dermatologia, explica tintim por tintim qual a melhor maneira de hidratar e cuidar da sua pele oleosa.

Pele oleosa X outras peles: quais as principais diferenças?
Para entender o básico, considere uma régua imaginária com duas extremidades – ou, então, uma linha horizontal com começo, meio e fim demarcados. De um lado ficam as pessoas de pele seca e, do outro, indivíduos de pele oleosa. No meio de tudo estão as peles normais e mistas, sendo que a primeira vive em equilíbrio e a segunda, nem tanto. Anelise explica:

“A pele oleosa tende ao excesso de produção de sebo, apresenta brilho intenso, alta umidade e sensação pegajosa. Os poros se apresentam dilatados e com tamanhos irregulares e, na maioria das vezes, ela vem associada a à acne (em forma de cravos e espinhas). Já a pele seca tem deficiência de sebo e água, aspecto áspero e sem brilho, tendendo ao ressecamento e craquelamento com maior facilidade”, diz.

Enquanto as normais reúnem o melhor dos dois mundos, apresentando equilíbrio entre as funções hídrica e oleosa, poros fechados e regulares, viço e maciez, as peles mistas são aquelas que geralmente contam com a oleosidade localizada na chamada “zona T (testa, nariz e queixo)”, enquanto o restante da face pode ter aspecto de pele normal ou seca.

Por que hidratar?
Gustavo sinaliza: todas as peles devem ser hidratadas para que mantenham suas características naturais, barreiras de proteção e funcionalidades vigentes. Caso contrário e, obviamente, destacando as oleosas, problemas já existentes como brilho exagerado, dilatação dos poros, cravos e espinhas, conforme explicamos, podem piorar ainda mais.

A solução, então, é hidratar e hidratar, mas sempre de forma equilibrada, para que hidratação natural e produção excessiva de óleo, comumente presentes nas peles oleosas, não entrem em conflito.

Como assim? É que o uso de ativos para tratar a oleosidade acaba levando a um ressecamento da pele e, para tentar se proteger, o organismo responde produzindo ainda mais sebo. Resumindo: as peles oleosas também ficam desidratadas, mas não apresentam aspecto seco – e sim, o brilho, atesta Anelise.
Quer mais um motivo para começar a investir na hidratação do rosto? Uma pele hidratada, além de tudo, fica mais tolerante ao uso de ácidos que ajudam a controlar a produção de sebo e fechar os poros – funciona como se um efeito potencializasse o outro.

Veja mais no site:

Fonte: www.mdemulher.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Campo obrigatório