Menos dois: Será apresentado projeto para reduzir número de vereadores na Câmara de Monte Santo

133
0
COMPARTILHAR

De acordo com Paulo Rubens, em 4 anos a economia seria de mais de R$630 mil

 

Monte Santo:- Depois de consultas jurídicas, o vereador Paulo Rubens Coelho Donnabella (PSDB), que já comandou o legislativo monte-santense, juntamente com os vereadores Hugo Zotti Rocha (PSD), Renato Vitor Marçal (PSDB) e Priscila Maria Paulino Santos (PSDB) apresentará na próxima sessão ordinária da Câmara Municipal, Projeto de Emenda a Lei Orgânica Municipal para reduzir o número de 11 para 9 vereadores.

Este Projeto de Emenda a Lei Orgânica para ser aprovado necessitará dos votos de dois terços (2/3) dos vereadores presentes à reunião, ou seja, 8 votos favoráveis. O vereador Paulo Rubens, idealizador da matéria, espera contar com o apoio dos demais vereadores para esta sua empreitada. O número mínimo de assinaturas para que a matéria seja apreciada é de 4 vereadores, número este que Paulo Rubens já conseguiu.

Para a nossa “Folha”, Paulo Rubens disse que “desde que assumi a presidência da Câmara Municipal a minha bandeira sempre foi de buscar meios para economizar o dinheiro público, portanto este Projeto de Emenda a Lei Orgânica visa, exatamente, esta economia”.

“Com a redução de dois vereadores a nossa Câmara Municipal deverá economizar uma quantia substancial anualmente, dinheiro este que poderá ser investido pelo prefeito em favor da população melhorando a qualidade de vida, principalmente, das famílias de menor renda”, salientou Paulo Rubens. Adiantou que com a redução de dois vereadores a economia será expressiva. “Realizei um levantamento com profissionais em administração pública e o estudo nos mostrou que as despesas de dois vereadores em 4 anos com vencimentos, 13º salário e 1/3 de férias seria de R$522.156,80. Mais as obrigações patronais (INSS) sobre os mesmos vencimentos seria no valor de R$114.874,51. Então, a soma total em 4 anos será de R$637.031,31. Veja como a economia será substancial”, conclamou.

Explicou ainda, que “estamos atravessando uma crise muito grande, a nossa cidade já vem sofrendo com o desemprego e a nossa Prefeitura, que atualmente ainda ostenta um caixa financeiro favorável, poderá sofrer as mesmas consequências que várias Prefeituras da região estão sofrendo, ou seja, sem recursos até para efetuar o pagamento da folha dos funcionários”.

Ao encerrar, Paulo Rubens ressaltou a necessidade dos demais vereadores acompanharem esta demanda, pois “não podemos visualizar um futuro esplendoroso para o nosso país do jeito com que a situação vem caminhando, portanto temos que nos precaver e é dever nosso como vereadores buscar meios para propiciar economia no legislativo e, com isso, ajudar a Prefeitura cumprir suas metas administrativas e sociais”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Campo obrigatório